sexta-feira, 18 de março de 2016

O Golpe contra a Democracia está em marcha acelerada



Não escrevo meus Pitacos há muito tempo. Quase quatro anos, olhando a última postagem. Em tempos de redes sociais, quase ninguém mais tem paciência para textão de blog. Só comentários curtos no facebook ou 140 caracteres no twitter. Mas o desalento principal para não escrever mais é olhar para o horizonte, para os lados, e ver que quase mais ninguém quer debater, discutir ou saber a opinião do outro. Todos já tem opinião formada e consolidada, baseada em anos de alienação promovida pela grande mídia. Afinal, se o Jornal Nacional disse que o Juiz Sérgio Moro está salvando o país, quem há de discordar?

Mas chega de lamúrias. O fato é que há um golpe contra a democracia em curso no país, desde a vitória da Dilma, em 2014, e o tempo histórico se acelerou demais desde a condução coercitiva - ou sequestro - do Lula, há alguns dias. Como acabou de escrever o Rodrigo Vianna no seu ótimo blog Escrevinhador, querem fazer crer que o impeachment da Presidenta Dilma é fato consumado, e cabe ao gado caminhar cabisbaixo em direção ao abate. Mas ainda não é hora de jogar a toalha, muito pode ser feito. Mas temos que ler corretamente os sinais do momento.

A oposição joga em três frentes simultâneas, que se retroalimentam: o "trabalho" da Lava Jato, operação que nasceu para matar esse governo, e que mandou as favas e os escrúpulos para o brejo, com os vazamentos dos grampos criminosos contra a Presidenta Dilma, o ministro Lula e seus advogados, manifestações de rua e os trabalhos da comissão do impeachment no Congresso. A lógica é muito simples: enquanto a cadela do fascismo já deu a luz a milhares de monstros em todo o país, dispostos a criar tumultos, violência e barulho, e a manter as ruas ocupadas, sem tréguas, o rito do impeachment está sendo acelerado na Câmara. Enquanto nos preocupamos em organizar os nossos atos e defender nas redes e nas ruas a democracia, Eduardo Cunha e seus asseclas vão fazer correr velozmente o prazo de dez sessões para que a possibilidade de impedimento da Presidenta seja votada por essa comissão. Nesse ritmo que o Cunha quer conduzir, com sessões de segunda a sexta-feira, em 15 dias essa comissão já estará votando.

Ao mesmo tempo, é certo que a Lava Jato, Juiz Moro e a força-tarefa ainda tem muito material para vazar, com a finalidade de causar comoção no país e fazer avançar o clima de golpe, coisa que a Rede Globo e demais capangas do PIG são especialistas em fazer. Conversas banais, da intimidade, xingando e dizendo palavrões contra quem quer te prejudicar, para fazer parecer que o governo tenta interferir na Lava Jato, e levar mais e mais pessoas ás ruas, fazendo crer que o país todo quer o golpe.

Os próximos 30 dias serão decisivos e dramáticos. Todas as noites teremos mais vazamentos em primeira mão para o Jornal Nacional, e nos próximos dias certamente uma nova etapa da lava Jato, com suas ilações e prisões cheias de fábula. As ruas estarão cheias de fascistas em surto psicótico exigindo a derrubada do Governo, para em seu lugar colocarem corruptos ainda mais pilantras.

Contudo, há esperanças. Ainda há muito o que se fazer. Se choveram tantas críticas e ações contra a nomeação do Lula na Casa Civil, certamente é porque há espaço para negociar e barrar o impeachment. Não será fácil, pois com esse sistema político tão apodrecido, a mídia e a Lava Jato já deram mostras de que só vão arrefecer com a derrubada do governo. Com boa parte do Congresso comprometida em escândalos de todas as lavras, esse é um argumento poderoso para derrubar o governo. Façam o impeachment da Dilma e deixamos vocês sossegados, esse é o recado claro.

Por isso, nossas organizações, Partidos, sindicatos, movimentos, pessoas que querem a continuidade da democracia no Brasil tem a obrigação de se fazer presente nessa luta. Encher as ruas nesse dia 18, lota-las novamente no dia 31, e avaliar a necessidade de um estado permanente de mobilização contra o golpe. Atuação nas redes sociais, emails e mensagens para os parlamentares, também são fundamentais. Não existe vácuo na política, se os defensores da democracia não aparecerem com força, agora, talvez daqui 10 dias já seja tarde demais.

Cometemos erros no governo, equívocos de avaliação? Sem dúvidas. Mas, ou deixamos esse balanço de lado, por enquanto, e salvamos a democracia no nosso país, ou então vamos ver nossa nação e nossas riquezas sendo entregues, novamente, a preço de banana, como o Macri está fazendo agora na Argentina.

À luta!!

Nenhum comentário: